Capítulo 12 - Complicações

Olá! Eu disse que o capítulo 12 já vinha a caminho e aqui está ele! Este demorou assim muito tempo, porque apagava sempre tudo o que escrevi! xD Bem, espero que gostem e deixem comentário aí em baixo! E Nokas ✞ estou a gostar da tua fic dos "Taylena". :) Outra coisa, peço muita desculpa pelas asneiras, mas neste capítulo tinha que ser! :)

 

 

P.O.V. Viviana

 

Separámo-nos. Ele olhava para a minha cara a sorrir e eu olhava para ele espantada.

 

- Que foi? Beijo assim tão mal? – Disse ele a rir.

 

- Gustavo… - Ele interrompeu-me antes de eu puder explicar que eu e o Gonçalo tínhamos uma cena.

 

- Eu sei. O Gonçalo. – Ele baixou a cabeça. – Tu gostas dele, também sei.

 

- Desculpa, Gustavo. – Eu baixei também a cabeça. – Tu és simpático e giro, mas eu e ele… - Pensei nas palavras certas para dizer naquele momento. – Temos uma cena.

 

‑ Eu sei isso tudo. – Ele olhou para mim com um olhar muito triste. – Mas não percebo como é que consegues estar com ele.

 

- Hã? – Fiquei confusa com aquele comentário. Afinal, que mal é que tem gostar dele?

 

- Ele achasse melhor do que todos, não vês isso? – Ele agarrou-me nas mãos.

 

- Não! Até porque ele não é assim. – Sacudi-lhe as mãos. Não estava mais para ouvir aquele tipo de merdas! - Ele é muito querido comigo.

 

- Ele está a lixar-se para o teu “pacto” com a tua amiga. – Ele olhou para mim abismado. – Se quiseres ficar com ele perdes a tua melhor amiga. Comigo não precisas de perder nada!

 

- Vou, sim. Vou perder o Gonçalo. – Disse eu triste.

 

- Não vais não! – Ele olhou para mim. Ele tinha razão. Se eu continuasse com aquela mentira, eu ia acabar por perder a minha melhor amiga, mas se namora-se com o Gustavo, o Gonçalo podia muito bem namorar com a Sara e ele ficava meu amigo. Mas o problema é que eu gosto do Gonçalo.

 

- Sabes que mais?! Chega desta conversa. Vou-me embora. – Levantei-me, agarrei na minha mochila e saí da esplanada. Quando ia a entrar no bloco mais perto, senti uma mão forte a agarrar-me o braço. Virei-me para trás – era o Gustavo.

 

- Não quero ficar assim contigo. – Ele lamentou-se por causa daquela discussão.

 

- Okai, somos amigos, simplesmente não voltes a fazer o mesmo. – Senti qualquer coisa a vibrar no bolso – era o meu telemóvel. – Tenho que ir. Adeus. – Fui-me embora.

 

Tirei o telemóvel do bolso e olhei para o visor, era o Gonçalo. Atendi o telemóvel rápido.

 

- Estou? – Disse eu.

 

- Ainda estás na escola, não estás? – Perguntou ele.

 

- Hum…Ainda, porquê? – Ele ficou em silêncio o tempo.

 

- Vai ao portão da tua escola.

 

- O quê? Porquê? – Ele já tinha desligado o telemóvel.

 

Eu achei aquilo muito estranho. Dirigi-me até ao portão da escola e ali estava ele, pávido e sereno a sorrir e a caminhar na minha direcção…

 


publicado por Find Who It Is às 18:08 | link do post