Sábado, 28.01.12

Divulgação

Eu sei que já fiz isto á muito pouco tempo mas, eu queria divulgar um blog, só que não o encontrava. O blog é este → http://perfectdream.blogs.sapo.pt/ e foi o PRIMEIRO blog de fics deste género que eu vi, e foi daí que tudo começou! :) Entretanto, estou á dois dias a ler o blog da Nokas ✞ de fics da "Taylena", eu só não estou a gostar das personagens e eu depois digo porquê! xD O link está aqui → http://taylenastorys.blogs.sapo.pt/ vejam, comentem e divulguem, porque não demora mais de dois minutos! :)

publicado por Find Who It Is às 12:26 | link do post | comentar

Capítulo 14 - Praia

Olá! Eu sei que sou maluca, por ficar acordada até esta hora para acabar mais um capítulo, mas quero que as minhas leitoras fiquem bem, logo pela manhã! ;) Bem, este capítulo é maior que o normal, mas espero que gostem. Deixem comentário aí em baixo ↓ e divulguem o blog. :)

 

 

 

P.O.V. Viviana


Começámos a andar pelas ruas de mão dada. Ele de vez em quando olhava para mim, eu percebia mas fingia que não.

 

- Vivi, está tudo bem? – Ele parou de andar e largou-me a mão. Eu virei-me para ele. Suspirei.

 

- Está, sim, é só que… - Parei a pensar se seria bom contar-lhe.

 

- O quê? – Ele insistiu e eu vi o ar de preocupado dele.

 

- Bem, acho que não é nada de importante. – Eu fiz-lhe um sorriso meio de esguelha.

 

- Se não fosse, tu não estavas assim. Sabes que me podes contar tudo. – Ele sorriu e pôs uma madeixa do meu cabelo para trás da orelha.

- Eu sei. – Eu sorri, agarrei na mão dele e comecei a brincar com os dedos dele. – Mas eu não quero fazer nada que me vá arrepender.

 

- Vivi, eu sei que não devo tocar no assunto, mas acho que isso já é um problema para ti. – Ele riu.

 

- Não sejas mau. – Fiz beicinho e baixei a cabeça. – Eu conto, mas promete que não vais fazer nada que te vás arrepender!

 

- Eu prometo! Eu por ti até juro! – Disse ele a sorrir.

 

- Bem, sabes o Gustavo? – Ele acenou afirmativamente com a cabeça. – Ele hoje, quando estávamos a conversar, ele… - Fiz uma pausa.

 

- Ele o quê? – Ele estava a olhar para mim curioso.

 

- Ele…Beijou-me. – Ele ficou abismado a olhar para mim.

 

- O quê?! Espera, eu ouvi bem?! – Ele estava furioso.

 

- Por favor, Gonçalo! – Eu agarrei-lhe na cara com as duas mãos e obriguei-o a olhar para mim. – Tu prometeste-me!

 

- Eu sei, mas Viviana, tu és minha namorada, ele não tem o direito de te fazer isso. Nem a ti nem a mim. – Ele olhou para mim triste, agarrou nas minhas mãos e tirou-as da cara.

 

- Tua namorada? – Fiquei espantada, eu pensava que eu é que o classificava como namorado.

 

- Sim, a não ser que não me achas teu namorado. – Ele olhou para mim com os olhos a brilhar.

 

- Acho, mas...– Eu continuei a olhar para ele.

 

- Okai, já sei espera. – Ele agarrou na minha mão, deu-lhe um beijo e sorriu - Viviana, queres namorar comigo?

 

- Quero, claro que sim! - Ele deu-me um beijo forte. - Agora aonde é que me ias levar? – Eu olhei para ele com um ar interrogativo.

 

- Anda, é já aqui perto. – Ele apontou para o horizonte. Olhei em redor. Ainda estávamos no condomínio, mas já estávamos no limite.

 

- Hum…Vamos sair do condomínio? – Ele olhou para mim com ar espantado.

 

- Nunca vieste aqui?

 

- Não, nem por isso. – Encolhi os ombros, ele riu-se e eu corei.

 

- Então ainda vai ser melhor do que estava á espera. – Ele beijou-me rapidamente e continuámos a andar.

 

Passados uns 20 minutos, chega-mos a uma praia selvagem e desértica. O mar estava azul, brilhante e calmo. Estava o ambiente perfeito para um encontro.

 

- Oh Meu Deus! – Exclamei em voz alta.

 

- Gostas-te? – Perguntou ele a sorrir e a olhar para mim.

 

- Gostar? Eu amo! – Eu abracei-lhe com toda a força que tinha. – Obrigado por seres tão querido.

 

- Amor, por ti tudo. – Ele olhou para mim pensativo. – Hum…Mas não será que mereço mais um bocado do que um abraço? – Ele sorriu e aproximou-se de mim.

 

- Está bem, mas só um. – Sorri, dei-lhe um beijo forte e afastei-me logo.

 

- Só isso? – Ele parecia ter ficado desapontado. Comecei a descalçar as minhas botas.

 

- E já tens muita sorte. – Depois de descalçar as botas, desapertei a breguilha das calças e tirei-as, ficando, assim, só de cuecas e com a camisola que me chegava até ao início da coxa.

 

- Aonde é que vais? – Perguntou ele, ao ver afastar-me.

 

- Molhar os pés, queres vir? – Virei só a cabeça para trás para conseguir olhar para ele, enquanto agarrava no cabelo.

 

- Não vou perder um minuto contigo, é claro que vou. – Ele sorriu, eu retribuí e depois desci a inclinação até ao mar.

 

A água estava fria, muito fria até, mas estava calma, as ondas que me batiam nas penas não criam empurrar-me, queriam que eu estive-se ali.

Enquanto estava distraída a olhar para o mar, senti uns braços fortes a agarrar-me a cintura e um queixo a pousar no meu ombro direito.

 

- És linda, sabias? – Ele sorriu e deu-me um beijo no pescoço.

 

- Só dizes isso porque estou em cuecas. – Disse eu a rir.

 

- Não, digo não. Eu digo isto porque te amo…

 


publicado por Find Who It Is às 02:56 | link do post | comentar | ver comentários (3)
Sexta-feira, 27.01.12

Capítulo 13 - Loucuras

Olá! HOje consegui acabar mais um capítulo! :) Pessoalmente, acho que está incrível, mas vou deixar ao critério das leitoras da fic! ;) Espero que gostem e deixem muitos comentários aí em baixo ↓!

 

 

 

P.O.V. Viviana

 

-Oh Meu Deus! O que é que estás aqui a fazer?! – Eu exclamei em voz alta e empurrei-o para um cantinho que ficava entre a cabana do segurança e muro alto da escola.

 

- Que foi, não ficas-te contente? – Ele disse aquilo com um sorriso sedutor e meteu-me as mãos na cintura.

 

- Sim, fiquei, mas vieste á minha escola?! – Comecei a olhar em redor a ver se alguém estava a olhar para nós.

 

- Qual é o mal?! – Ele largou-me e disse aquilo com ar zangado.

 

- Tu esqueces-te das coisas muito rapidamente, Gonçalo.

 

- Eu quero lá saber da tua amiga. – Disse ele a tentar beijar-me.

 

- Não, mas eu quero! Se ela me apanha contigo, nunca mais me perdoa. – Baixei a cabeça triste. Como é que eu podia estar a mentir á minha melhor amiga?! Aquilo era pior do que eu imaginava.

 

- Vá lá amor, não fiques triste. – Ele levantou-me a cabeça cuidadosamente. – Desculpa. É só que…Ás vezes gostava de estar contigo sem teres de te preocupar sempre com alguém!

 

- A culpa é minha, eu devia ter-lhe dito que não ia desperdiçar uma oportunidade assim. – Beijei-o com força.

 

- Como se eu fosse assim tão bom partido. – Ele riu-se.

 

- E és mesmo! – Eu sorri.

 

- Eu não sou nada comparado contigo, amor. – Ele beijou-me suavemente. Sorri e beijei-o.

 

Enrolei os braços em volta do pescoço dele, ele meteu as mãos á volta da minha cintura e encostou-me contra a parede. O beijo ficava cada vez mais intenso. Eu tirei uma das mãos do pescoço dele, levei-a até á sua nuca e agarrei o cabelo dele. Ele soltou um gemido. As nossas línguas tocaram-se. Por fim, afastámo-nos e ficámos os dois ofegantes.

 

- Uau! Pareces uma cadela no cio! – Disse ele na brincadeira.

 

- Hei! – Disse eu e dei-lhe um leve empurrão no ombro.

 

- Estava só a brincar, amor. – Ele riu-se e deu-me um beijo. – Hum…Queres ir para outro sítio?

 

- Hum…Não posso, tenho aulas. – Olhei para o relógio de pulso dele. Por aquela hora a minha professora devia estar a sair da sala.

 

- Porque é que não faltas? – Ele perguntou aquilo com a maior calma do mundo.

 

- Porque não! – Disse eu a olhar para ele com os olhos mais esbugalhados do que um peixe.

 

- Porque não? Não queres passar a tarde comigo? – Ele piscou-me o olho de maneira desafiadora.

 

- Quero, mas Gonçalo, eu não posso faltar! – Eu olhei para ele a rir.

 

- Anda lá! Tinha tantos planos para hoje. – Ele agarrou-me na cintura.

 

- Bem… - Ponderei um bocado. A Sara iria perguntar onde é que eu tinha ido e eu tinha de lhe mentir mais uma vez, mas o Gonçalo é o meu namorado(?). – Está bem! Mas só com uma condição!

 

- Qual? – Disse ele a sorrir. Parecia uma criança que ia a uma loja de doces com 5 euros.

 

- Tens de me levar a casa antes das aulas acabarem.

 

- Está bem, já podemos ir? – Ele fez sinal com a mão para eu passar.

 

-Eu não sei onde é que queres ir, para ter tanta pressa.

 

- Á escola, não é. – Ele riu, meteu o braço á volta dos meus ombros e deu-me um beijo rápido na boca…

 

 


publicado por Find Who It Is às 23:46 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Capítulo 12 - Complicações

Olá! Eu disse que o capítulo 12 já vinha a caminho e aqui está ele! Este demorou assim muito tempo, porque apagava sempre tudo o que escrevi! xD Bem, espero que gostem e deixem comentário aí em baixo! E Nokas ✞ estou a gostar da tua fic dos "Taylena". :) Outra coisa, peço muita desculpa pelas asneiras, mas neste capítulo tinha que ser! :)

 

 

P.O.V. Viviana

 

Separámo-nos. Ele olhava para a minha cara a sorrir e eu olhava para ele espantada.

 

- Que foi? Beijo assim tão mal? – Disse ele a rir.

 

- Gustavo… - Ele interrompeu-me antes de eu puder explicar que eu e o Gonçalo tínhamos uma cena.

 

- Eu sei. O Gonçalo. – Ele baixou a cabeça. – Tu gostas dele, também sei.

 

- Desculpa, Gustavo. – Eu baixei também a cabeça. – Tu és simpático e giro, mas eu e ele… - Pensei nas palavras certas para dizer naquele momento. – Temos uma cena.

 

‑ Eu sei isso tudo. – Ele olhou para mim com um olhar muito triste. – Mas não percebo como é que consegues estar com ele.

 

- Hã? – Fiquei confusa com aquele comentário. Afinal, que mal é que tem gostar dele?

 

- Ele achasse melhor do que todos, não vês isso? – Ele agarrou-me nas mãos.

 

- Não! Até porque ele não é assim. – Sacudi-lhe as mãos. Não estava mais para ouvir aquele tipo de merdas! - Ele é muito querido comigo.

 

- Ele está a lixar-se para o teu “pacto” com a tua amiga. – Ele olhou para mim abismado. – Se quiseres ficar com ele perdes a tua melhor amiga. Comigo não precisas de perder nada!

 

- Vou, sim. Vou perder o Gonçalo. – Disse eu triste.

 

- Não vais não! – Ele olhou para mim. Ele tinha razão. Se eu continuasse com aquela mentira, eu ia acabar por perder a minha melhor amiga, mas se namora-se com o Gustavo, o Gonçalo podia muito bem namorar com a Sara e ele ficava meu amigo. Mas o problema é que eu gosto do Gonçalo.

 

- Sabes que mais?! Chega desta conversa. Vou-me embora. – Levantei-me, agarrei na minha mochila e saí da esplanada. Quando ia a entrar no bloco mais perto, senti uma mão forte a agarrar-me o braço. Virei-me para trás – era o Gustavo.

 

- Não quero ficar assim contigo. – Ele lamentou-se por causa daquela discussão.

 

- Okai, somos amigos, simplesmente não voltes a fazer o mesmo. – Senti qualquer coisa a vibrar no bolso – era o meu telemóvel. – Tenho que ir. Adeus. – Fui-me embora.

 

Tirei o telemóvel do bolso e olhei para o visor, era o Gonçalo. Atendi o telemóvel rápido.

 

- Estou? – Disse eu.

 

- Ainda estás na escola, não estás? – Perguntou ele.

 

- Hum…Ainda, porquê? – Ele ficou em silêncio o tempo.

 

- Vai ao portão da tua escola.

 

- O quê? Porquê? – Ele já tinha desligado o telemóvel.

 

Eu achei aquilo muito estranho. Dirigi-me até ao portão da escola e ali estava ele, pávido e sereno a sorrir e a caminhar na minha direcção…

 


publicado por Find Who It Is às 18:08 | link do post | comentar | ver comentários (11)

Divulgação

Olá! Bem, o 12º capítulo está a ir bem (acho que vão gostar! ;) e entretanto queria fazer umas divulgações:

 

O 1º blog que queria divulgar é da Nokas ✞ e é fantástico! Podem ir lá ver:  http://imunbroken.blogs.sapo.pt/ 

 

O 2º blog que queria divulgar é da Láàh Jett e foi o ÚNICO blog que gostei sobre "Taylena". Só tenho pena de já ter acabado, podias fazer a sequela tipo "Twilight"? ;) Bem, o blog é este aqui → http://taylenaforever.blogs.sapo.pt/ visitem-no e comentem-no! ;)

 

O 3º blog é o da VMatos (que nunca mais deu sinais de vida ;( ) e está aqui o link: http://unknown_location.blogs.sapo.pt/ 

 

Depois há um blog que eu ainda não comecei a ler a fic em si, mas já vi as personagens e está brutal, é da (ou do) A Dream and an Illusion, e o link do blog também está aqui: http://adreamandan-illusion.blogs.sapo.pt/ 

 

E pronto, passem por estes blog que são todos fantásticos e deixem comentário neles! ;)

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Find Who It Is às 12:01 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quinta-feira, 26.01.12

Capítulo 11 - Gustavo

Olá! Finalmente acabei mais um capítulo e acho que este é o melhor até agora. ;) Bem, agora não vou ter tanto tempo como antes para postar (caso ainda não tenham percebido! xD) mas vou fazer um esforço para postar muito usualmente. Não vou ficar aqui com mais rodeios, aqui está o capítulo 11. ;) Deixem comentário aí em baixo ↓ se concordam (ou não) que este é o melhor capítulo de todos.

 

 

P.O.V. Viviana

 

Entrámos na sala mesmo atrás da professora. Sentámo-nos nos nossos lugares do costume (na fila do meio) e tirei o caderno de Ciências. Olhei para o quadro para escrever o sumário quando me deparo com a seguinte frase: “Dissecção de sapos”. De início pensei que fosse uma brincadeira parva da professora, mas depois vi o Luís entrar com os sapos. A minha barriga começou a andar ás voltas. Dissecar sapos?! Mas que raio de ideia!

 

- Muito bem meninos, eu vou distribuir um sapo a cada um e quem quiser vomitar, está á vontade para sair não voltem é a entrar. – A professora disse aquilo com a maior calma enquanto entregava os sapos já mortos. A sala ficou com fedor a podre quando ela abriu aquela caixa de sapatos.

Chegou a minha vez de receber o sapo. Sentia que ia definitivamente vomitar.

 

- Sou só eu que estou com vontade de vomitar? – Perguntou a Sara já com a mão na boca.

 

- Não, Sara, não és. – Disse a Camila. Bem, ao menos se vomitasse, não vomitava sozinha.

 

Olhei para o sapo – só lhe faltava ter a língua de fora para estar como nos desenhos animados – e agarrei na faca(?). Enfiei a faca na barriga do sapo e fiz um pequeno rasgão. Comecei a sentir o vómito a vir-me á boca. Larguei a faca e corri da sala á casa de banho, que não ficava muito longe. Quando lá cheguei enfiei-me dentro de uma casa de banho e foi o meu pequeno-almoço todo pela sanita abaixo. Passado um bocado ouvi alguém a fazer o mesmo na casa de banho ao meu lado.

 

Levantei-me e espreitei para a outra casa de banho – era a Joana da minha turma. Fui até ao primeiro lavatório da direita, lavei as mãos, bochechei um bocado de água e cuspi de volta ao lavatório.

 

- Desde quando é que se faz isto na escola? – Disse a Joana ao perceber que era eu quem estava ali.

 

- Não sei. – Tirei o meu pacote de pastilhas do bolso e meti uma na boca. – Pastilha?

 

- Claro! – Ela quase que voou para a pastilha. – Oh, pois, está ali alguém que quer falar contigo.

 

- Okai, obrigado. – Será que hoje toda a gente quer falar comigo. Mastiguei a pastilha mais uma ou duas vezes e saí da casa de banho. Era o Gustavo.

 

- Olá. – Aproximou-se de mim e deu-me dois beijos na cara.

 

- Olá. Como é que sabias que estava aqui?

 

- Vi-te a correr da sala. Dissecção de sapos? – Perguntou ele a tentar adivinhar.

 

- Yap! – Disse eu a mexer o estômago.

 

- Queres ir para um sítio onde não cheire nem a sapo podre, nem a vómito? – Perguntou apertando o nariz.

 

- Pode ser. – Ri-me. Ele meteu o braço á volta dos meus ombros. Corei um pouco, mas ele pareceu nem perceber.

 

Fomos até á esplanada do bar e sentámo-nos numa mesa que estava lá.

 

- Na minha turma também houve gente a vomitar. – Disse ele a olhar para o céu.

 

- Pois, acredito… - O Gustavo era diferente de qualquer outro rapaz, ele estava sempre distante e era simpático mas tinha o seu toque de mistério.

 

- Eu também nunca fui muito dotado a dissecção de sapos. – Ele riu-se um bocado embaraçado. – Tive negativa nesse teste.

- Hum…Teste? – Engoli em seco. Como é que eu ia fazer um teste de dissecção de sapos?!

 

- Sim. Aquilo era só para perceberem como é que se faz. – Ele riu-se ao ver a minha cara. Ele agarrou no meu queixo e fez-me olhar para os olhos azuis dele. – Tem calma. Se voltares a vomitar manda-me uma mensagem e eu vou ter contigo, okai?

 

- Hum…Okai. – Ele aproximou os seus lábios dos meus.

 

 Comecei a sentir o fôlego dele em cima dos meus lábios. Ele aproximou-se mais um bocado. E finalmente senti os lábios dele a tocarem nos meus. Ficámos envolvidos num beijo romântico e apaixonado. Enrolei os braços á volta do pescoço dele e ele inclinou-se um bocado mais para mim. Aquele era o melhor beijo da minha vida…


publicado por Find Who It Is às 12:09 | link do post | comentar | ver comentários (4)
Quinta-feira, 19.01.12

Capítulo 10 - Escola

Olá! Portanto, desde que postei o último capítulo, que tem acontecido "bués" coisas! A primeira foi que recebi um selinho (WHAT IS THAT?), a propósito, obrigado Láàh Jett por me avisares! :) A segunda foi que cortei o cabelo! :D E a última foi que acabei mais um capítulo! Finalmente malta, o capítulo 10! *.* Se puderem divulguem o blog, nas redes sociais, falem dele aos vossos amigos e publiquem também nos vossos blogs! :)

 

 

 

P.O.V. Viviana

 


 

Por aquela hora a escola já estava a abarrotar! A Camila ainda estava agarrada o telemóvel e não o largou desde que acordou (segundo ela) até agora.

- Hey, Camila, onde é que está o Francis? – Perguntou a Sara.

- Hum, espera já te digo. – Disse a Camila e começou a teclar a toda a velocidade no telemóvel.

- Tu ficas-te calada o caminho todo! Está tudo bem, Vivi? – Perguntou a Sara olhando para mim com um ar interrogativo.

- Estive a pensar numas cenas. – Sorri.

- No quê? – Perguntou a Sara.

- Hum…Estava a pensar…Hum…Estava a fazer as contas para ver a que dia é que me vem o período. – Really?!

- Estavas tão envergonhada para dizeres-me isso. – Ela ria-se que nem uma desalmada! De repente ouvimos o toque de um telemóvel a receber uma mensagem.

- Ele diz que está na esplanada. – Ela andou mais um bocado para baixo na mensagem. – Oh, e Vivi…Ele tem alguém que te quer conhecer! – Ela sorriu.

- A mim? – Interroguei eu.

- Não! Há mais alguma Vivi na escola? – Ela disse aquilo com um sarcástico.

- Que eu tenho conhecimento não. – Disse a Sara a entrar também na brincadeira.

- Okai, okai, não batam mais na ceguinha! – Elas riram-se e fomos até á esplanada.

Quando lá chegámos vimos o Francis sentado virado para nós, mas depois havia um rapaz com o cabelo assim para o loiro de costas, com um porte atlético e alto. Quando o Francis deu, por nós chegar-mos começou a acenar-nos com o braço e a sorrir.

- Finalmente, tanto tempo para chegar. – O Francis já se tinha levantado para dar um abraço á Camila, e levantou os pés dela do chão.

- Hey, eu não podia aparecer aqui na escola como uma vadia! - Disse a Camila. O Francis riu.

- Sara! – Ele abraçou a Sara. O bom do Francis é que ele cumprimenta sempre toda a gente como se já não as vise á 3 anos!

- Vivi! – Deu-me exactamente o mesmo abraço. – Estás melhor? – Ele posou-me no chão e sussurrou ao meu ouvido.

- Acho que sim. – Disse eu também a sussurrar.

- Achas?! – Disse ele a gritar e a rir.

- Sim, acho! – Disse eu também aos gritos!

- Ainda bem, porque tenho aqui uma pessoa que te quer conhecer. – Disse ele.

- Pois, já sei. – Ele riu-se.

- Gustavo! – Gritou o Francis. O rapaz loiro, de porte atlético e alto, levantou-se e virou-se para mim e para o Francis.

- Olá. – Disse o Gustavo quando se aproximou de nós.

- Portanto, Vivi este é o Gustavo. Gustavo esta é a Vivi. – Disse o Francis sorriu e foi-se embora.

- Olá. – Disse eu. Ele aproximou-se de mim e demos dois beijos na cara.

- Desculpa o Francisco. – Ele sorriu. Tinha um sorriso lindo, sem qualquer imperfeição, dentes brancos que até brilhavam, todos direitos e no sítio e não tinha um sorriso de gengiva.

- Hum…Porquê?

- Ele perguntou-me se estava interessado em alguém. – Começou ele. – Eu disse-lhe que não, mas que te achava piada e ele achou que eu e tu, podíamos namorar. – Ele riu-se.

- Não faz mal. – Disse eu.

- Hum…Queres sentar-te ou preferes ficar em pé?

- Sentar! Definitivamente, sentar! - Ele riu-se e eu também. Ele puxou uma cadeira e sentou-se, eu puxei outra e sentei-me.

- Então, tu vives lá no condomínio, não é? – Perguntou ele para arranjar tema de conversa.

- Sim. – Ele olhou para o céu.

- Bem, parece que hoje não vai chover. – Ele olhou para mim e sorriu. – Já ouvi falar de ti.

- Já? – Fiquei extremamente espantada.

- Sim, tanto da boca do Francisco como da do Gonçalo. – Ele piscou-me o olho. Ele tinha mesmo de fazer aquelas coisas?!

- Ah, pois, o Gonçalo. – Comecei a corar. Ele riu-se.

- Tem calma, ele contou-me do que se passa. Não vou contar nada.

- Hum…Obrigado. – Ele olhou para o relógio.

- Bolas! Hum…Dás-me o teu número? – Ele ficou um bocado envergonhado.

- Claro. – Ele deu-me o telemóvel dele para a mão e eu escrevi o meu número.

- Okai. Obrigado, eu depois mando um SMS a dizer que sou eu. – Levantou-se. – Hey, Francisco ‘bora para a aula! – Agarrou, na mochila e o Francis copiou o gesto dele. Ficámos todas a vê-los a afastar.

- Então, conta lá, como é que foi a conversa aí com o Gustavo? – Perguntou a Camila que tinha puxado a cadeira mais para ao pé de mim. A Sara entretanto, também já tinha feito o mesmo.

- Hum…Foi normal. – Disse eu a rir.

- Ele é giro não é Vivi? – Perguntou a Sara.

- É engraçadito. – Disse eu.

- Então e… - Disse a Camila.

- E…O quê? – Perguntei eu.

- Achas que eras capaz de namorar com ele? – Perguntou a Sara.

-Não! Vocês não estão a tentar fazer isso pois não? – Disse eu e tocou a campainha.

- Anda lá Vivi. Qual é mal? Ele acha-te piada e tu também lhe achas ele… - Disse a Camila.

- Meninas, eu consigo arranjar namorado sozinha. – Oh, então se consegues porque é que “namoras” com o mesmo gajo que a tua melhor amiga também gosta? Levantei-me e peguei na mochila. – Então? Vêm ou não? – Elas levantaram-se e nós fomos para a sala.

publicado por Find Who It Is às 00:41 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 08.01.12

Capítulo 9 - Mais Mentiras

Olá! Em primeiro lugar, desculpem não ter publicado nada durante tanto tempo!

Em segundo lugar desejo-vos um bom 2012 cheio de surpresas e Deus queira que o Mundo não acabe este ano, porque não vou conseguir acabar a minha fic sem título! xD

 

Neste “post” vão descobrir o meu sexo (feminino ou masculino), espero que não vos desiluda! :)

Aqui está mais um capítulo da minha fic, espero que gostem. Outra coisa, estava a pensar criar um facebook para o blog, que acham? Deixem aí em baixo ↓ a vossa opinião. ;)

 

 

 

 

P.O.V. Viviana

- Olá! – Disse a Camila ao abrir a porta. Chegou ao pé de mim e da Sara e deu-nos um abraço em grupo.

- Então vamos? – Disse a Sara fazendo um gesto com a mão.

- Esperem deixem-me mandar uma mensagem ao Francis a dizer que estamos a caminho da casa dele. – Ela tirou o telemóvel do bolso e começou a escrever a mensagem.

- Ai, que isso vai dar amor! – Disse eu a rir.

- Oh, tá calada, não digas disparates! – Disse ela também a rir.

Quando ela mandou a mensagem, fechou a porta e seguimos caminho até casa do Francis. A Camila continuava nas mensagens e conversava animadamente com a Sara. Eu olhava para o meu dedo indicador da mão esquerda que tinha um penso rápido na ponta.

Eu tinha traído a Sara, no momento a seguir de termos trocado o nosso sangue. Sentia-me mal, não só por a ter traído, mas também por lhe mentir! Eram tudo mentiras atrás de mentiras e a pior parte é que não tinha ninguém para desabafar.

- Hum, então Vivi, ouvi dizer que tu e o Gonçalo tiveram uma noite escaldante, é verdade? – Inquiriu a Camila a piscar-me o olho e a sorrir.

- Ah! Pois, isso…Ele beijou-me mas não foi nada de mais! Aliás não aconteceu mais nada entre nós. – A última parte era desnecessária se eu estivesse apenas com a Camila, mas com a Sara ali também, tinha que a fazer ter a certeza que eu e ele só nos falávamos como amigos.

- Hum! Okai! – Disse ela e continuou ás mensagens e a falar com a Sara. Nem percebi muito bem de que tema é que elas estavam a falar, mas era qualquer coisa sobre as mensagens.

Sentia-me uma terrível amiga! Como é que eu podia mentir daquela maneira á Sara? Custava-me muito, mas tinha que ser. O meu telemóvel tocou, afastando-me daqueles pensamentos. Tirei-o do bolso – era uma mensagem do Gonçalo. Abri a mensagem – “Liga-me, Viviana.”. Não tinha outra opção, senão ligar.

- Meninas, eu tenho que ir fazer uma chamada, já volto! – Disse eu a sorrir.

- Uma chamada a quem? – Perguntou a Sara intrigada.

- Á minha mãe, devo-me ter esquecido de alguma coisa! – Porra! Outra mentira! Só mentiras. – Já volto. – Disse eu e afastei-me delas, até a uma casa desabitada, daquela rua. Agarrei no telemóvel e marquei o número dele. Liguei e começou a chamar.

-Viviana! – Atendeu logo depois do primeiro toque.

- Diz! – Disse eu baixinho.

- Queria-te perguntar se, hoje á noite não queres ir dar uma volta? – Ele parecia ligeiramente embaraçado.

- Hum, pode ser, desde que não passemos pela rua do pessoal.

- Está bem. Adeus, amo-te.

- Também eu a ti. – Desliguei o telemóvel.

Voltei para ao pé delas e elas continuaram a falar enquanto andavam. Depois de algum tempo a andar, avistámos o portão da escola aberto. Andámos até ele e entrámos na escola.

 

PS: Eu sou...

RAPARIGA! ;)

 

publicado por Find Who It Is às 18:53 | link do post | comentar | ver comentários (6)

mais sobre mim

pesquisar neste blog

 

Janeiro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
29
30
31

posts recentes

últ. comentários

Posts mais comentados

arquivos

2012
2011

tags

favoritos

subscrever feeds

blogs SAPO